17 de abril de 2014

Te sei

Rui Molefas



Te sei. Em vida
Provei teu gosto.
Perdas, partidas
Memória, pó.

Hilda Hilst
Poesia XXIX (Te Sei)

Não sei de amor senão o não ter tido
teu corpo que não cesso de perder.


Não Sei de Amor Senão



14 de abril de 2014

Vida

Weheartit





















Achar a porta
que esqueceram de fechar.
O beco com saída.
A porta sem chave.
A vida.


Toda Poesia 



7 de abril de 2014

Corpo Atento

Lena Queiroz

A tarde avança em lençóis de fumo
e tu não bates à minha porta.
Enrolo um cigarro de lume para acabar com a dor.
Tenho os ouvidos lá fora e o corpo atento.


Isabel Mendes Ferreira
O Corpo Atento                       
                                          ...                                 

e ao anoitecer adquires nome de ilha ou de vulcão
deixas viver sobre a pele uma criança de lume
e na fria lava da noite ensinas ao corpo
a paciência o amor o abandono das palavras
o silêncio
e a difícil arte da melancolia.

Al Berto
Horto de Incêndio



31 de março de 2014

Dentro de Mim Faz Sul





Quero reaprender o amor 
na respiração das tuas mãos
Quero-me sentado nas 
pálpebras quietas do teu olhar
Quero me goiabar em ti, caroço 
e casca, verme e moço, seiva e corpo
Tu – minha noite redonda
minha madrugada mulata.

Dentro de Mim faz Sul



26 de março de 2014

Improviso da madrugada




Húmido de beijos e de lágrimas, 
ardor da terra com sabor a mar, 
o teu corpo perdia-se no meu. 

(Vontade de ser barco ou de cantar.) 


Os Amantes sem Dinheiro



24 de março de 2014

Do amor

Frans Lanting/Corbis



Talvez o amor seja uma figura de proa desafiando o barco
por entre o alvoroço das águas. 


Dia de Aniversário



20 de março de 2014

Braile

Scott Murdoch


Leio o amor no livro
da tua pele;
demoro-me em cada
sílaba, no sulco macio
das vogais, num breve obstáculo
de consoantes, em que os meus dedos
penetram, até chegarem
ao fundo dos sentidos. Desfolho
as páginas que o teu desejo me abre,
ouvindo o murmúrio de um roçar
de palavras que se
juntam, como corpos, no abraço
de cada frase. E chego ao fim
para voltar ao princípio, decorando
o que já sei, e é sempre novo
quando o leio na tua pele.


Braile


17 de março de 2014

Cais

John Kamke.


É preciso amar, sabe? 
Ter-se uma mulher a quem se chegue, 
como o barco fatigado à sua enseada de retorno. 
O corpo lasso e confortável, de noite pede um cais.

(trecho do diário)



12 de março de 2014

Apelo



na outra margem da noite
o amor é possível
— leva-me! —
leva-me entre as doces substâncias
que morrem cada dia na tua memória

Alejandra Pizarnik
O Olvido                                                                                                                 Derrame-se sobre mim
o brilho desta manhã
de esperança azul.
A noite foi só
ausência de luar.

Apelo



10 de março de 2014

Mil madrugadas

Sweet Charade

No teu rosto 
competem mil madrugadas 

A tua beleza 
é essa luta de sombras 
é o sobressalto da luz 
num tremor de água 
é a boca da paixão 
mordendo o meu sossego.

Mia Couto
Raiz de Orvalho 




12 de fevereiro de 2014

Cheiro

Silent Bride


Agora que sinto amor
Tenho interesse no que cheira.

...
Hoje as flores sabem-me bem 
num paladar que se cheira.
Hoje às vezes acordo
e cheiro antes de ver.

Alberto Caeiro
O Pastor Amoroso
Hoje eu desenho o cheiro 
das árvores.

O Livro das Ignorânças


5 de fevereiro de 2014

No silêncio dos olhos

Elizabeth Etienne/Corbis



Em que língua se diz, em que nação,
Em que outra humanidade se aprendeu
A palavra que ordene a confusão
Que neste remoinho se teceu?
Que murmúrio de vento, que dourados
Cantos de ave pousada em altos ramos
Dirão, em som, as coisas que, calados,
No silêncio dos olhos confessamos?


José Saramago
Os Poemas Possíveis
Lisboa, Caminho, 1999



20 de janeiro de 2014

Faltou dizer

amanh'ser

Ainda te falta
dizer isto: que nem tudo
o que veio
chegou por acaso. Que há
flores que de ti
dependem, que foste
tu que deixaste
algumas lâmpadas
acesas. Que há
na brancura
do papel alguns
sinais de tinta
indecifráveis. E
que esse
é apenas
um dos capítulos
do livro
em que tudo
se lê e nada
está escrito
.

Albano Martins
Escrito a Vermelho



21 de dezembro de 2013

Antes de te conhecer

Sensing-Owls


O tempo, subitamente solto pelas ruas e pelos dias, como a onda de uma tempestade a arrastar o mundo, mostra-me o quanto te amei antes de te conhecer. Eram os teus olhos, labirintos de água, terra, fogo, ar, que eu amava quando imaginava que amava. Era a tua, a tua voz que dizia as palavras da vida. Era o teu rosto. Era a tua pele. Antes de te conhecer, existias nas árvores e nos montes e nas nuvens que olhava ao fim da tarde. Muito longe de mim, dentro de mim, eras tu a claridade.

A Criança Em Ruínas



18 de dezembro de 2013

Se

Fendis-zefa-Corbis

Se perguntares
como,
eu ficarei calado
...
Se perguntares
quando,
eu talvez diga

...
Se perguntares
qual,
eu direi
esse a teu lado.


Geir Campos
O Homem Novo